Buscar
  • Fr. Joaquim OSC

Viver é perigoso!

É muito fácil acordar de manhã e fazer todas as coisas que nos agrada ou que precisamos durante o dia, como por exemplo, comer, beber, trabalhar, buscar caminhos para não se frustrar, etc... Mas tudo isso é sobreviver.

Feliz é aquele que corre o risco de viver!

Viver é ir além dos limites da nossa zona de conforto, é fazer muito mais que o necessário. Toda criatura foi criada para sobreviver, ou seja, qualquer criatura é capaz de conseguir comida, agua, e tudo mais que for necessário para sua sobrevivência e quando ela se depara com seus limites se esquiva e procura outra forma de sobreviver ou morre.

Somos filhos de Deus, somos muito mais que criaturas criadas para sobreviver. Deus nos criou para Ele, portanto somos templo do Espirito Santo. Sobreviver é o nosso instinto, mas somos capazes de viver, ou seja, para nós que estamos e permanecemos em Deus não há limites para nos restringir ou limitar nossa existência. O limite para nossa existência é a eternidade.

Viver é estar de encontro com as necessidades dos outros, é ser apoio para o próximo, é arriscar-se em ser um pouco de Deus na vida do outro, é buscar a felicidade onde quer que ela esteja, é vencer nossos limites humanos e existências em busca da santidade. Por tudo isso é evidente que viver é perigoso.

Muitos se perdem ao avançar seus limites, mas ao menos tiveram a coragem de arriscar, pois triste mesmo são os que vivem como águias no galinheiro e têm medo de alçar voo.

Somente a Graça de Deus nos permite atravessar as fronteiras da sobrevivência rumo ao ato de viver. Aqueles que se arriscam sem Graça de Deus correm o risco de perder até mesmo seus instintos de sobrevivência.

É certo que abraçar a Graça de Deus e avançar para além dos limites da sobrevivência é muito perigoso. Ao sair de nossa zona de conforto decidido em viver, certamente, vamos deparar com muitos desconfortos. Muitos traumas assombram a vida daquele que um dia decidiu viver. Muitos abandonam a Graça de Deus diante da dor e não encontram o caminho de volta, se escondem em falsos escudos para a dor.

Mas, aquele que abraça a Graça de Deus e não a abandona encontra a alegria em viver porque tem como meta a eternidade. Viver se torna gostoso quando o fazemos para Deus. Nunca se arrisque viver a não ser para Deus, pois viver é perigoso e só Deus é capaz de nos guiar rumo à vida eterna. Somente Deus nos permitirá chorar diante da dor, mas sorrir durante o sofrimento.

Se quisermos o alcançar o Céu, precisamos sentir o gosto de viver arriscando-nos em busca da santidade, mas sempre em comunhão com aquele que nos criou para Ele.

Portanto, arrisquemos viver em Deus. Pode ser perigoso viver, mas em Deus tudo é possível. A Graça de Deus é como o açúcar que adoça até o limão mais azedo. Fomos criados para Deus e somos capazes de amar. Aquele que ama e foi criado para Deus não pode simplesmente sobreviver. Amar é viver e viver para Deus.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo